Virtudes nos relacionamentos

postado em: Articles | 0

Por Andrei Costa Colonetti

Praticar virtudes nos relacionamentos nem sempre é fácil. As vezes estamos de bom humor, tudo está indo bem e todos estão nos tratando gentilmente, concordando com tudo que dizemos.     Então talvez nós podemos esquecer que praticar virtudes é algo que tem que ser feito o tempo todo e não nos damos conta que existe um campo infinito de aprendizado sobre como podemos ser virtuosos nos relacionamentos. E às vezes a melhor oportunidade para sermos virtuosos é quando as coisas começam a dar errado, quando as pessoas são grossas, injustas e irracionais conosco.

Um relacionamento difícil pode ser uma maneira que nós podemos melhorar nossas virtudes de uma maneira mais efetiva, porque são nos tempos difíceis que necessitamos sermos virtuosos, praticando sabedoria, paciência, compaixão e outras importantes virtudes. É mais difícil ser virtuoso discutindo com alguém e no calor do momento, dar um passo para trás, respirar fundo, pensar racionalmente e olhar situação de uma forma diferente.

Uma ferramenta que podemos usar para sermos mais virtuosos – e melhorar nossos relacionamentos – é a filosofia grega antiga e suas conceituações sobre Virtudes. Aretê, em geral traduzida como Virtude ou Excelência, foi dividida por eles quatro Virtudes Cardinais: Phronêsis, Dikaiosunê, Sôphrosunê e Andreia.

Phronêsis é geralmente traduzida como prudência ou sabedoria prática, é “a habilidade que por si mesmo é produtora de felicidade humana” (Robertson, 2018). Para os Grego é a mais importante Virtude, porque a base da Phronêsis é saber o que é bom e o que é ruim para as nossas vidas. Quando esquecemos de ter Phronêsis ao nos relacionar com os outros, podemos esquecer o que é realmente importante e cair em discussões que não levam a lugar nenhum, ao invés de nos ajudar melhorar as nossas vida e a ver a realidade de forma mais clara. Ser sábio também significa ter a mente aberta, pensando “O que não estou me dando conta?” e saber que o que pensamos tem uma grande possibilidade de estar errado de algum modo e o que outra pessoa diz – e que pensamos que não faz sentido – talvez possa ser verdade por alguma perspectiva.

Dikaiosunê é distribuir o que cada um merece, ser justo. Geralmente traduzida como justiça, Dikaiosunê é referida por alguns autores modernos como virtude social ou moralidade. É uma virtude essencial para todos os líderes, trabalhar em equipe e resolver conflitos. Para praticar tal virtude é necessário ser empático e sempre se colocar no lugar dos outros.

Sôphrosunê é ter moderação, ser cauteloso sobre o que se deve fazer. Autodisciplina, controlar nossos impulsos e autoconsciência são centrais. Mas não apenas isso, praticar Sôphrosunê é também saber que as pessoas cometam erros, assim como nós mesmos cometemos, portanto devemos ser humildes e perdoar, não apenas os outros, mas a nós mesmos. Sôphrosunê é a Virtude é a virtude que pode nos salvar de dizer algo que nos arrependermos e também nos mantermos calmos, sem perdermos a cabeça.

Andreia está entre a covardia é a temeridade. É ser corajoso e ser forte ao enfrentar dor. Se não somos valentes e não enfrentamos todos os tipos de sensações que uma situação e relacionamento difícil podem trazer, nós não aprenderemos como podemos praticar todas as outras Virtudes. Relacionamentos são desafiadores e aprender como melhorar um relacionamento demanda muita perseverança, especialmente quando lidamos com os vícios dos outros e mais ainda os nossos vícios, que são os que podemos mudar mais facilmente – não os vícios dos outros.

Para a corrente filosófica Estoica, ética e especialmente Virtude, é uma maneira de vivermos em harmonia com tres domínio que envolvem nossas vidas: nós mesmo, tendo amor próprio e sem conflito interno; outras pessoas, até mesmo “inimigos”, nós vendo como uma única comunidade; e com eventos externos, dando boas vindas ao Destino, não desejando por mais, ter medo ou reclamar (Robertson, 2017). Como o filósofo Estoico Séneca disse: “Nós não sofremos pelos eventos na nossa vida, mas do julgamento que temos sobre eles”. Portanto, um relacionamento difícil – com parentes, amigos, companheiros, colegas de trabalho, etc – vai nos fazer sofrer ou não, dependendo em como nós vemos e lidamos com eles.

Referências: ROBERTSON, Donald. What do the Stoic Virtues Mean?. 2018. Disponível em: .

TAHER, Reham Al. What is the Classification of Character Strengths and Virtues?. 2016. Disponível em: .

ROBERTSON, Donald. The Threefold Nature of Stoic Ethics: Some notes on Stoic Ethics understood in terms harmony and consistency across our threefold relationship with ourselves, other people, and the world. 2017. Disponível em: .

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *